Esse é um tema bem comum nas rodas de amigas aqui na China. Mas entendo que é um assunto recorrente a todas as mulheres que resolveram abandonar seu trabalho, sua carreira no Brasil e acompanhar o marido nessa aventura pelo mundo, seja em que lugar for.

Isso aconteceu comigo e com centenas de outras mulheres que conheço, brasileiras ou não. No inicio se perde o chão, busca-se respostas e sentidos à nova realidade. É um período duro, de luta interna – questionamentos, sentimento de culpa e incertezas.

No BPM – Brasileiras Pelo Mundo – outro blog em que sou colaboradora mensal, esse assunto já foi tratado pela Silvia Marques, que vive na Suiça, e também em dois textos coletivos que você pode conferir nesses links: ‘Profissional no Brasil, dona de casa no exterior’ parte 1 e parte 2.

Em todos esses artigos, cada uma das colunistas fala um pouco das suas experiências nos paises em que estão vivendo. Podemos notar claramente que há diferenças em cada local – o tipo de visto, a recolocação no mercado local, a diferença do idioma e da cultura. Mas aqui, vamos falar especificamente sobre a China.

Vale lembrar que, nos ultimos tempos, tem aumentado o numero de mulheres que vem com seu emprego e com sua própria Permissão de Trabalho (Work Permit) para o País do Meio, como é o caso da Ludmila Lima que veio para a China como professora em uma escola internacional.

About the author